Meia Noite em Paris

turismo_opt

Um passeio mágico, que leva o mesmo nome de um premiado filme do cinema: Meia Noite em Paris by Bike. Só o nome já desperta a vontade de viajar.

Frequentemente escolhida como cenário de filmes, Paris é também conhecida como a cidade dos apaixonados. Mas não apenas deles. A capital francesa une beleza, romance, história e cultura. E isso faz dela a terceira cidade mais visitada do mundo.

A pesquisa Global Destination Cities Index 2013, elaborada pela Mastercard, apontou os 20 destinos mais visitados em 2013 e mostrou que a capital francesa só perde para Bangkok, na Tailândia e Londres, na Inglaterra. A cidade recebe 13,92 milhões de visitantes estrangeiros por ano.

Se durante o dia Paris já impressiona, é a noite que ela mostra a sua magia. E agora, os turistas podem apreciá-la ainda mais graças à ideia de uma brasileira, a jornalista e empreendedora cultural Fernanda Hinke.

Imagine pedalar pelas ruas e ciclovias com as luzes amarelas refletindo no rio Sena e iluminando o caminho. Passar pelos principais pontos turísticos, com a cidade vazia, quase particular. Pois esta é a proposta do passeio ‘Meia Noite em Paris by Bike’, um tour inédito na França.

Quando incluí Paris no meu roteiro de férias, decidi que precisava fazer esse tour. As reservas foram feitas por e-mail, diretamente com a Fernanda. E às 21h30 de uma gelada noite de quarta-feira encontrei-me com ela e mais três turistas em uma das estações de metrô da cidade. Ali cada um alugou a sua bike e começamos a descobrir os encantos da noite parisiense que tanto fascinaram o personagem Gil (Owen Wilson), no premiado filme de Woody Allen.

O tour dura três horas, aproximadamente 16 km, e o objetivo principal é chegar, minutos antes da meia-noite, à Torre Eiffel.

O passeio começa nas Île Saint-Louis e Île de la Cité, onde é possível ver apenas uma pequena parte da Torre Eiffel e conhecer o marco zero da cidade, que está localizado há pouco mais de 30 metros da entrada da catedral de Notre-Dame. Primeira parada para as fotos, enquanto Fernanda conta um pouco da história do local. Em torno desta área, não tem como deixar de apreciar a vista impressionante da parte de trás da Catedral, com sua arquitetura gótica. Cruzando a Pont Neuf, avistamos a parte de trás do Louvre, que nos espera no final do passeio.

No caminho alguns pontos turísticos embelezam o trajeto, como o Museu D’Orsay – uma antiga estação ferroviária construída em 1900, que foi transformada em um museu de Arte Moderna. Dentro há um restaurante que propõe uma atração especial: às quintas-feiras o turista pode jantar e visitar o museu por apenas 55€.

A Torre Eiffel se aproxima. Nosso objetivo é estar lá antes da meia-noite, para assistir aos precisos cinco minutos de luzes antes de elas se apagarem.

Seguimos pedalando até chegar à Ponte Alexandre III, a exuberante ponte sobre o rio Sena, enfeitada por imponentes anjos de ouro. Mais algumas pedaladas e nos deparamos com os jardins secretos que despontam nela, a tão esperada Torre Eiffel, o símbolo mais importante da França.

11 - Fernanda Hinke_optE é ali que, poucos minutos depois, à meia noite, todos brindam com a Champagne levada por Fernanda, e assistem extasiados à beleza de um dos pontos turísticos mais visitados do mundo.

00h05. Luzes apagadas. É hora de continuar o passeio. A Champs-Élysées e o Louvre nos esperam. Chegamos ao centro da Place de la Concorde, que está absolutamente vazia. A maior praça da capital francesa, uma das mais famosas, palco de importantes acontecimentos da história da França e cenário de dezenas de filmes do cinema. Quem não se lembra da cena do filme ‘O Diabo Veste Prada’ em que Andy (Anne Hathaway) joga o celular em uma fonte e assim se livra da impiedosa Miranda Priestly (Meryl Streep)? Pois então, a fonte era ali, entre o Jardim de Tulleries e a Avenida Champs Elysées.

A famosa avenida está logo à frente, com o Arco do Triunfo no final, e, ao mesmo tempo, a Torre Eiffel, em uma simetria perfeita. Impossível não fazer inúmeras fotos.

Continuamos de bicicleta ao lado da beleza do Jardim de Tulleries, agora com o objetivo de alcançar o último monumento “arte de rua”, em nosso tour: O Louvre.

Três horas se passaram sem que percebêssemos. Nada de fome ou sede. Apenas uma sensação quase anestésica de estar embriagado com a beleza da cidade. “Mesmo para mim, que faço esse passeio com mais frequência, a cada noite é uma emoção diferente. Porque Paris nunca é demais!”, suspira a guia brasileira.

Fernanda vive há dois anos em Paris e adora pedalar. É uma empreendedora cultural com foco na street-art. Em seu site ‘My Life on My Bike’ ela escreve sobre manifestações artísticas desenvolvidas no espaço público. Ela conta que a ideia veio por acaso, numa noite após voltar de uma festa. “Em 2012 fui convidada para uma festa em um barco, em frente à Torre Eiffel. Era um evento muito fino e elegante, eu estava toda produzida, com sapatos de salto alto, mas mesmo assim decidi ir de bicicleta. Coloquei os sapatos na cestinha da bike e fui. A festa foi linda. Na hora de voltar embora, já passava da meia noite, eu estava voltando de bicicleta e tive essa ideia. Eu estava pedalando de madrugada por Paris, com a cidade praticamente vazia e os monumentos ainda acesos. Foi um dos momentos mais deslumbrantes que eu já havia tido aqui. Repeti esse passeio inúmeras vezes e a emoção era sempre a mesma. Então eu descobri a alquimia que era a receita: Paris + bicicleta + meia-noite. Espontaneamente, eu tinha criado o tour: Meia Noite em Paris de bicicleta. Foi aí que decidi, em parceria com o blog Conexão Paris, oferecer com exclusividade este passeio para os turistas brasileiros que visitam a cidade.”, conta ela.

O fato de ser realizado tarde da noite possibilita desfrutar mais do cenário. O tráfego é menos intenso, as ruas estão mais vazias e os monumentos iluminados. Ao final Paris mostra que é uma cidade para ser visitada durante o dia e contemplada durante a noite.

“Este ano foi a primeira temporada e foi um sucesso absoluto.”, comemora ela, adiantando que a segunda temporada terá início em março de 2014 com duração até novembro. Como diria o filme, “Paris de manhã é bonita. Paris à tarde é charmosa. Paris ao anoitecer é encantadora. Mas Paris após a meia-noite é mágica.”.

Eu diria mais, é deslumbrante!

Por Leidinara Batista

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Matéria e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s